Os Vingadores – parte 1 : Guia de personagens

maio 8, 2012 em Na Toca do Jaguar, Notícias por Helder Chaves

Ainda não assistiu ao espetacular filme dos Vingadores (Avengers) ? Assistiu, mas nunca leu uma revista em quadrinhos dos personagens ? Quer conhecer um pouco (ou MUITO) mais ? Quer saber quem é quem? Quer saber a diferença entre Vingadores e Liga da Justiça? Não tem problema: eis aqui a primeira parte da matéria (no mesmo estilo que faço com os super-heróis japoneses) sobre os Vingadores.

Todo mundo reunido: está na hora de salvar o universo. Mesmo que alguns planetas saiam meio ”machucados” no processo.

E, para começar, vamos com calma: quem são os personagens que irão aparecer no filme? Explicaremos AGORA. Tudo o que é de mais relevante/essencial para ser conhecido do grupo de heróis mais poderosos da Marvel! Saiba o que você deve (ou NÃO) esperar do filme e evitar ”gafes” ao assistí-lo. Afinal, já escutei de tudo: tinha gente perguntando qual o motivo do Superman e do He-man não terem entrado na história !!!!

Obs: Não se preocupem! NÃO TEM SPOILERS do filme!!!

Infelizmente, por motivos de força maior, não conseguí apresentar esta matéria ANTES da estréia dos Vingadores. Queiram me desculpar por isto. Meu plano inicial era fazer uma matéria a respeito de cada personagem do filme em separado. Uma matéria do Hulk, outra do Homem de Ferro, outra do Capitão, etc… Só conseguí fazer as duas primeiras partes da matéria do Poderoso Thor. E ainda estão faltando algumas (muitas) coisas a serem comentadas.

Mas, como eu não poderia deixar de falar dos Avengers, estou disponibilizando uma versão resumida daquilo que tinha pensado fazer anteriormente. Vou dividir em tópicos que envolvam estas questões: guia de personagens; sugestões de games; crítica do filme e suas curiosidades; qual a ligação entre os Super Sentai (esquadrões de heróis japoneses divididos em cores) e os Vingadores;  e por aí vai.

Então… senta que lá vem história!

—————————————————————————————————

A disputa criativa entre Marvel e DC esquentou muito nos anos 1960 e ambas acabaram copiando ou reutilizando os mesmos conceitos uma da outra (até hoje é assim). A DC foi, provavelmente,  a inventora do conceito de grupo de super-heróis, ainda na Segunda Guerra Mundial, com ‘’All-Stars’’ e ‘’Sociedade da Justiça da América’’ . Com a volta dos heróis uniformizados  e com super poderes aos quadrinhos(um dia voltarei a tocar neste assunto a respeito da fase de perseguição as hq’s), não era de se estranhar que a DC retornasse com este conceito na nova Liga da Justiça. A Marvel tinha começado sua ‘’era de prata’’ com a primeira super família da editora, O Quarteto Fantástico. Mas, apesar de ser uma revista forte no mercado, e com um conceito que fez sucesso(um super grupo que, antes de mais nada, era uma família de verdade e não um grupo de desconhecidos que se uniram pelo destino), não existia na Marvel nada parecido com a Liga da Justiça. E o pior era que a Liga da Justiça da DC foi formada pela nata dos personagens da editora: Superman; Batman; Mulher-maravilha(mais tarde, retroativamente, substituída na equipe pela Canário Negro) ; Aquaman; Caçador de Marte; Hal Jordan,o Lanterna Verde da era de prata; e Flash. Somente os melhores e alguns dos mais antigos personagens do mundo das hq’s. Chamados até hoje de ‘’Os Medalhões da DC’’. Na Marvel não existiam ainda grandes personagens disponíveis com o mesmo tempo de vida (e de fãs), apelo e poderes que, se unidos, fariam frente a Liga da Justiça. Porém… a idéia, e vontade, de se fazer tal coisa na editora falaram mais alto.

Stan Lee se apressou em criar uma história que unisse todos os personagens, (menos o Quarteto Fantástico) do seu universo, que foram criados a partir dos anos 60 (a antiga ‘’Atlas’’ e os personagens da segunda guerra mundial não entrariam no rol da Marvel por uns bons anos). O Homem Aranha, por ser ainda um novato e porque Lee não achou por bem colocá-lo tão cedo vinculado a um grupo(uma decisão inteligente pra época, pois iria, talvez, arruinar o conceito original do personagem) também foi deixado de lado. Sobraram o Incrível Hulk , O poderoso Thor (ambos os personagens já eram os mais poderosos da editora na época), Homem de Ferro (outro que tinha saído do nicho de ficção cientifica para o gênero de super heróis) e a dupla Homem-formiga e Vespa. Um grupo de poderio considerável, claro, mas, por natureza, muito volátil. Nenhum dos personagens era, pelo seu perfil, um líder nato ou carismático. Eram solitários ou, até mesmo, egoístas ou egocêntricos . Misturar um semi-deus guerreiro esquentadinho com um mutante radioativo que aumenta de tamanho e força conforme se enfurece, não parecia ser muito saudável. Da mesma forma, ter o cargo de liderança sendo disputado por dois brilhantes cientistas, que se exibiam para a única e fútil garota da equipe… bem, isso soa mais parecido com um desastre anunciado. Mas, isto viria a mudar, no exato dia que a Marvel descobriu a oportunidade de mestre : envolver nesta mistura o maior líder e estrategista da editora, assim como trazê-lo de volta de um longo período sem publicações! Mas, estou me adiantando. Voltemos ao fio condutor da narrativa.

A estréia do grupo aconteceu em sua revista própria (‘’The Avengers’’) em Setembro de 1963, juntamente com a primeira revista dos X-men (que, na época, acabou ficando ‘’á sombra’’ de sua irmã mais famosa). Ironicamente, foi um plano mal idealizado por Loki que criou a desculpa perfeita para que estes cinco heróis se unissem em prol da justiça e ‘’para se vingarem dos males causados as pessoas inocentes’’. Usando de seus poderes ilusórios, o mestre das mentiras causou um incidente que envolveu o Hulk, incriminando-o. Rick Jones , amigo do Dr. Banner/Hulk (e um dos personagens mais emblemáticos na história da Marvel , embora desprezado nas versões para outras mídias) tentou entrar em contato com o Quarteto Fantástico usando um rádio amador. Seja por sorte ou obra do destino, o chamado NÃO conseguiu chegar até a ‘’Primeira Super Família’’: o pedido de socorro alcançou 4 personagens diferentes. E assim, Homem de Ferro; Thor; Homem-formiga/Gigante & Vespa atenderam a mensagem de Rick Jones.

Os quatro heróis se dirigiam ao local onde o monstro estava, com a intenção de acalmá-lo e levá-lo até as autoridades para prestar esclarecimentos. Não é necessário nem dizer o quanto este tipo de procedimento bem ‘’mundano’’ NÃO funciona com super-heróis, quanto mais com o Hulk. ‘’Trocando os pés pelas mãos’’ tem início o verdadeiro processo, que não deixa de ser um clichê, mas que todo mundo adora ver:

‘’Regra número 1 de um crossover entre super-heróis: eles irão se desentender, brigar e, após uma rápida explicação, entender que fizeram papel de crianças tolas. Depois de umas desculpinhas esfarrapadas ou ameaças veladas, todos irão se unir contra o vilão/ameaça maior.’’

Não interessa se você ama ou odeia essa regra: é quase impossível você não utilizar este mote quando faz um crossover de heróis. E foi isto que aconteceu na primeira revista dos Vingadores. Hulk é pressionado a se render. Evidentemente ele NÃO vai se render ou se explicar. Thor e Homem de Ferro NÃO tem paciência alguma ou lábia para resolver a conversa numa boa. Sai porrada para todo o lado. Em um momento de raro raciocínio, Thor deixa de lado seu desejo de guerrear e percebe que tudo não passa de outra ‘’travessura’’ de seu irmão Loki. Todos os cinco se unem contra o deus nórdico da trapaça e, após uma momento de relaxamento, se questionam se não valeria a pena aprenderem a trabalhar em grupo, até mesmo para evitar que situações assim ocorram futuramente.

Assim,inspirados no antigo super grupo dos Invasores (da Segunda Guerra Mundial) ,deram origem a maior equipe da Marvel: Os Vingadores (Avengers).

Dezenas de personagens se tornaram membros dos Vingadores ao longo dos anos: atualmente, Wolverine, Homem Aranha, Tempestade, Luke Cage/Powerman I, Punho de Ferro e até o Demolidor. Mas também possui como membros, Hercules, Ares, Sersi, Visão, Feiticeira Escarlate & Mercúrio (filhos de Magneto) , Pantera Negra, Gavião Arqueiro, Viúva Negra, Miss Marvel, She-Hulk, e muitos outros.

—————————————————————————————————–

*O INCRÍVEL HULK

Savage Green Hulk – Emerald Goliath

Robert Bruce Banner foi contratado para construir a bomba perfeita: que destruiria a matéria inorgânica (e portanto qualquer esconderijo ou arma usada pelos inimigos), mas manteria vivo qualquer pessoa no local da explosão. Mas, como sabemos , o resultado nunca foi alcançado. A energia Gamma causa mutações em seres que não morrerem com a explosão que iniciou a emissão.

No exato dia do teste da Bomba-Gamma, Rick Jones, um adolescente rebelde, decide apostar com os colegas que era corajoso o suficiente ao ponto de entrar em uma área proibida do exército no Novo México. Sem saber que ali era o local de testes, se tornou uma vítima em potencial. Banner acaba percebendo a presença do garoto e pede para desligarem a Bomba antes da contagem regressiva terminar. O que Banner não poderia imaginar é que seu assistente era um espião russo com a missão de matá-lo e depois fugir com os planos de construção da bomba. A contagem regressiva NÃO é impedida e Banner só teve tempo de salvar Jones, empurrando-o para dentro de uma trincheira. A radiação emitida pela explosão da Bomba Gamma banhou o franzino cientista. Horas depois, Banner acorda na enfermaria, ao lado de um agradecido e arrependido Rick Jones. Só para que a surpresa de vê-lo vivo se torne um horror indizível: Banner aumenta de tamanho e se torna um monstro cinza ao cair da noite.

 

Hulk Cinzento

Os soldados que viram o ogro fugir, destruindo tudo, o batizaram de ‘’O Hulk’’ (o ‘’bruto/casca-grossa’’ em uma tradução livre). Sim, nos seus primeiros dias, Hulk era menor, mais fraco e tinha a pele cinza, só se transformando a noite, como se fosse um lobisomem. A mudança de cor para ‘’verde’’ ocorre pouco tempo depois, mais por uma decisão editorial: era mais fácil imprimir a revista com o monstro nesta cor do que achar o tom certo de cinza. Depois, ele já não se transformava durante a noite e sim em qualquer momento em que Banner perdesse a calma. Anos mais tarde, os roteiristas, como John Byrne, explicaram cronologicamente o porquê do Hulk oscilar entre essas duas cores: Banner sofreu espancamentos e pressão psicológica do pai quando criança. Cientista obcecado pela idéia de que suas experiências com radiação o teriam contaminado e originado um filho mutante em potencial, o pai o odiava.

Numa tentativa de proteger o filho, a mãe de Bruce perde a vida ao rolar da escada. Ainda uma criança pequena e sofrendo ameaças, nunca teve coragem de entregar o pai as autoridades. Mas, anos depois, poucos dias antes do teste da Bomba Gamma, ao visitar o túmulo de sua mãe, se depara acidentalmente com seu pai, que pula sobre o filho tentando matá-lo. Bruce, ao se defender, empurra o pai, que cai e morre ao bater a cabeça contra uma lápide. Isso tudo foi o gatilho psicológico que criou uma crise traumática em Banner, originando múltiplas personalidades. Em seus sonhos infantis, Banner se imaginava se transformando em um monstro super poderoso que poderia se defender de qualquer um, salvar sua mãe e ser imortal. Disso, surgiram o Hulk Cinza, mais inteligente e menos poderoso, que só surgia durante a noite, pois representa o lado mesquinho de Banner. E o Selvagem Hulk Verde, uma manifestação do desejo infantil e sua fúria contidas ao longo das décadas, sempre querendo mostrar que é o mais forte.

 

”Deixe-me sair, Banner!!!”

Assim, após receber a grande carga de radiação, o organismo de Bruce (que muitos acreditam na verdade já possuir algo de anormal desde a origem) absorveu a energia e metabolizou de uma forma que pudesse sobreviver… VIVER COM ELA, na verdade. E expulsá-la em momentos específicos. As células extras, que nascem em momentos de raiva, usam do mesmo processo das células do câncer (que crescem aleatoria e descontroladamente) , porém, fazem parte do novo DNA alterado e oculto em seu organismo. Ao atingirem um número superior ao número de células ‘’normais’’ de Bruce, uma armadura de carne começa a crescer ao redor do cientista, protegendo-o. Mas, não chega a ser certo pensar que Hulk e Banner dividem o mesmo corpo durante a transformação: assim como um Kamen Rider, apenas uma parte do corpo do humano é a mesma do corpo do herói. Como que vindo de uma dimensão oculta, um novo corpo substitui ou se sobrepõe ao corpo original durante a transformação. Hulk é quase uma versão alternativa de Banner ou até mesmo uma entidade separada. Mas que não podem viver separados, como gêmeos siameses que não sobrevivem, por vários motivos, após a cirurgia que os dividem. E pode ter certeza de que tal coisa, a separação de homem e monstro, já aconteceu três vezes nas revistas em quadrinhos. Mas, sempre, Hulk e Banner voltam a fazer fusão.

Na forma do Hulk, este adquire força física tremenda, que aumenta conforme mais raiva possuir. Os músculos extras que surgem para responder esse desejo de ser mais forte o fazem aumentar de tamanho quando está na forma de Hulk Verde (o Cinzento não aumenta quase nada em tamanho). Seu tecido muscular possui tanto poder para esmagar um pedaço de carvão ao ponto de torná-lo um diamante bruto, quanto o de poder saltar quilômetros num único impulso. Banner, recentemente, revelou que o local onde o Hulk cai é totalmente calculado pelo cérebro científico dele: pegando emprestado a inteligência de Bruce, ou este aproveitando para controlar sutilmente o corpo do monstro, intui/calcula qual seria o melhor ponto onde cair sem machucar ninguém. A própria densidade do corpo do monstro é variável: ele fica mais pesado ou mais leve em pleno ar, para ‘’manobrar ou planar’’ no momento em que cai, pousando quase como ”um gato”, respeitando (claro) a massa da criatura esverdeada ao atingir o solo. A habilidade de fazer múltiplos cálculos mentalmente e controlar instintivamente sua densidade molecular também explica duas proezas surpreendentes do Hulk que poucos compreendem: ele consegue ser até bem rápido para um brutamontes tão pesado. E, apesar de sua musculatura, o monstro possui incríveis juntas flexíveis, que o ajudam a arremessar quaisquer objetos  com uma mira muito boa.

Ao ser ferido, o que não ocorre com tanta facilidade, seu corpo se reconstitui com grande rapidez. Ficando com a pele duas vezes mais dura que a anterior ao ferimento.Muitas vezes seu organismo passa a ter uma habilidade nova para sobreviver a condições adversas : como criar uma substancia em seus pulmões que o faz agüentar ficar submerso por horas ou até mesmo viver no vácuo espacial. Também não costuma sentir extremos de temperatura.

Poucas coisas podem realmente feri-lo: o adamantium é uma delas. As garras do Wolverine, o escudo do Capitão América , as lâminas de Speedfreak ou a armadura de Ultron . Desde que a pessoa/ser que esteja empunhando o instrumento de adamantium tenha força física para isso, é possível até mesmo decapitá-lo. Para a sorte do Hulk, poucas são as pessoas com tal poder. Mas, é certo: destruir seu corpo é possível se estiver totalmente no epicentro de uma explosão nuclear. Mas, caso ele escape do local exato da bomba, a radiação que vem depois não o afetaria negativamente. Pelo contrário… ele ficaria mais forte, pois é capaz de absorver energia ambiente.

Hulk vs Wolverine (dublado)- parte 1 Parte 2 parte 3

Acima uma versão animada recente do primeiro encontro de Wolverine e Hulk. Poucos sabem, mas, Wolverine foi criado e apresentado numa revista do Hulk e só depois foi convidado por Xavier a entrar no grupo X-men.

O mundo sobrenatural também pode ferir o monstro. Talvez, por conta disso, ou por querer caçar seu pai no pós-vida para fazê-lo pagar (ou por temer que o mesmo venha a assombrá-lo) a criatura pode VER formas fantasmagóricas e algumas formas energéticas, ainda que não possa tocá-los.

Ao voltar ao normal, o corpo de Banner desliga as células-hulk, que morrem instantaneamente enquanto caem ou se evaporam, diminuindo de massa ao ponto de só restar o triste cientista. Mas, é garantido que Bruce, por si só, não é tão indefeso quanto parece: retirem o Hulk e sobra um espetacular gênio cientifico capaz de remontar sua ‘’Banner Tech’’ (tecnologia Banner). Mechas gigantes caçadores de Hulks, nano robôs controlados por um celular, experiências genéticas com mutações gamma, sistemas de computador… é arriscado admitir que Banner poderia ter sido o Homem de Ferro se não existisse o Hulk.

Foi membro fundador dos Vingadores, dos Defensores, participou indiretamente dos Campeões e foi líder do grupo Panteão (em sua fase inteligente, quando o Dr. Samson aparentemente conseguiu fundir as 3 personalidades principais numa só!).

Como o  multiverso Marvel é vasto de versões alternativas, existem versões diferentes da origem do Hulk: as versões dos desenhos animados e do cinema sugerem que, na realidade, Banner estava a procura de replicar o soro do Super Soldado que deu os poderes ao Capitão América. Substituindo os raios Vita por radiação Gamma, a experiência fundiu o soro ao DNA do cientista quando estava fazendo a si mesmo de cobaia. Mas, o resultado foi muito mais além do que um super soldado. No Universo Marvel Ultimate, Banner se torna um Hulk Cinza psicopata. Que é usado como máquina de matar ou arma viva pelo grupo Supremos (os Ultimates, a versão alternativa e mais agressiva dos Vingadores naquela realidade). Um verdadeiro monstro! No primeiro filme, dirigido por Ang Lee (que, parece, fui um dos únicos que gostou da obra) toda a tragédia grega que é a vida de Banner foi realçada magnificamente enquanto o roteiro fornece a possibilidade de que o pai de Bruce realmente tivesse feito experiências genéticas que originaram um filho mutante. Que só precisava de um catalisador energético para transbordar em um ser que possuía o DNA combinado de várias formas de vida: desde estrelas-do-mar e sapos, passando para répteis e vegetais. Infelizmente, em todas essas versões alternativas (algumas até mais interessantes que a versão original, devo admitir) a participação do enigmático Rick Jones (que é um nexo de realidade e um imã sobrenatural dentro do Universo Marvel) foi simplesmente ignorada.

O ser mortal mais poderoso fisicamente da Terra, no Universo Marvel. Assim como o Superman é o ícone maior e ponto de sustentação do Universo DC, o Incrível Hulk é a base e modelo de seu universo de personagens. Força física tremenda, fator de cura ultra-rápido, super resistência  somado a falhas humanas e crises de identidade. Assim como Kikaider e os Kamen Riders de Ishinomori no Japão, os personagens Marvel viviam cercados por pessoas que temiam seus heróis-monstros, apesar de serem protegidos pelos mesmos! Proteger aqueles que o temem… que o odeiam… que o invejam. Isso é uma constante para o Aranha, os X-men, os Vingadores e não seria diferente com aquele que representa conceitualmente todos estes personagens : Hulk!

Se não acredita, pode colocar minha teoria a prova: todos os personagens mais famosos da Marvel  são ”formas menores” do Incrível Hulk, ainda que Namor, o Sub-mariner, tenha sido criado ANTES com o mesmo propósito. Como todos dizem: na terra o Hulk… no mar, o Namor! Todos os mais queridos pela Marvel tem super força, super resistência e/ou fator de cura acelerado, seja por causa de poderes mutantes naturais, acidentes genéticos ou tecnologia avançada. O Homem de Ferro passou a construir armaduras cada vez mais poderosas depois que o Hulk passou a ser membro dos Vingadores desde a fundação. E o que seria o Hulk senão uma armadura biológica perfeita ? Tony Stark deseja ter o poder de um Hulk através da tecnologia. Até mesmo um fator de cura (ao estilo do Hulk) ele ganhou com a adição do nano-techno-virus Extremis.

O Homem Aranha tem sua força em níveis consideráveis. E também sofre perseguição da população que protege. Wolverine, Namor, Fera e até mesmo o Poderoso Thor: eles são vistos como ameaças. Guardam dentro de si um enorme desejo para a guerra. Mesmo que usando de sabedoria divina, de passatempos para ocupar a mente ou de treinamento zen-budista com samurais, todos estão a um fio de perder o controle.

Esta fórmula é tão presa no subconsciente dos roteiristas e do público que, de todas as tentativas possíveis de se criarem novas revistas, nenhum personagem que fuja dessas características do ‘’kit Hulk de poderes e perfil’’ consegue emplacar sozinho numa HQ por muito tempo: Ciclope; Gavião arqueiro; Gambit; Doutor Estranho… por mais que sejam bons personagens, seus conceituais encontram dificuldades em agradar o público. Mesmo personagens solitários mais clássicos, como o Demolidor, necessitam sempre de um rodízio de bons escritores para mantê-lo em evidencia nas bancas para os não-fãs. E arrisco dizer, o motivo pricnipal é que eles são personagens ”pouco físicos” ou ”brigões porra-louca”.

O Quarteto Fantástico é liderado por um dos maiores gênios da Marvel: Reed Richards. Que é casado com uma das personagens com um dos maiores poderes da editora: A Mulher Invisível e seus escudos de força impenetráveis e mentalmente controlados. Seu cunhado é o Tocha Humana II, capaz de gerar um efeito Nova por alguns segundos e fundir o interior de um andróide com couraça de adamantium, como Ultron. E, mesmo assim, toda vez que o Coisa sai da equipe, é necessário repor o personagem com algum outro ser super-forte, o mais rápido possível. E acredite quando digo que os números de venda da revista caem. Não existe um único super grupo da Marvel que não possua seu personagem super forte. Meu Deus… até o Capitão América tem uma força fora do comum, ainda que não chegue nem perto do Aranha.

Na DC comics, a fórmula é baseada no Superman, o primeiro super-herói: poder de vôo, super força e super velocidade, além de poderes visuais, super sentidos e/ou disparo de rajadas. Todos os personagens mais famosos da DC precisam ter pelo menos dois desses poderes ou ser especialista supremo em UM (como o caso do Flash, que é um Elemental da velocidade). Aquaman (que os pobres coitados ignorantes acham que se trata de um personagem inferior) possui uma grande super força e velocidade, principalmente fora dágua. Shazam/Capitão Marvel nem precisa ser mencionado para confirmar a teoria. Caso não sigam esta fórmula, é quase inevitável fazerem parte de algum grupo ou seguirem a fórmula do Batman: super treinamento; artes marciais; níveis olímpicos em várias modalidades; apetrechos tecnológicos; maestria em armas brancas diversas; veículos . Batman é o único contra-ponto ao conceitual do Superman na DC comics. Até mesmo a Mulher Maravilha oscila ao longo das décadas por estes dois modelos: super treinamento; veículo especial; capacidade de vôo; super velocidade; super força; arma branca especial; etc…

Na Marvel, o Hulk reina quase soberano como ”modelo de inspiração”. Se colocarmos Superman e Hulk frente a frente, podemos perceber que ambos são inversamente proporcionais:

-Nascido em um mundo alienígena, o Superman é carismático e muitos até se esquecem de que ele não é daqui. Enquanto que o Hulk nasceu humano, mas está cada vez mais afastado do resto da humanidade. Nem mesmo os X-men ou os Inumanos podem vê-lo como um igual. Ele é um pós-humano. Um alienígena em seu próprio mundo.

-Superman absorve energia solar, uma forma limpa e renovável de se abastecer. O Hulk é originado da letal radiação Gamma. Ambos tiveram sua jornada iniciada em duas grandes explosões: a que deu um fim ao Planeta Krypton e outra que foi causada pela detonação de uma ogiva nuclear.

-Ao redor do Superman existe uma aura misteriosa, provavelmente uma auto-defesa telecinética, que alcança poucos centímetros a partir da sua pele. Ela é responsável por proteger seu corpo de quase qualquer ataque. E explica porque seu uniforme, que é apenas tecido comum, não se queima ou rasga com facilidade, pois, por ser uma malha fina e colada ao corpo, está dentro do raiod e ação da aura protetora. Poucas vezes é necessário fazer uso de seu fator de cura. A pele do Hulk, pelo contrário, é sua couraça de carne. Que cresce ao seu redor após Banner perder o controle. E, caso consigam destroçá-la, seu fator de cura entra em ação.

-Superman tem como natureza ser sábio, justo, calmo e racional. Hulk é o seu oposto em questão de humor. Curioso é notar como os roteiristas fazem o público leitor se admirar quando eles invertem essas posições: é marcante quando alguma saga explora o descontrole de Superman ou os raros momentos em que Banner controla a mente do Hulk, passando a manter somente os benefícios de ambas as formas.

-Superman originalmente podia apenas pular prédios altíssimos (poder inspirado em John Carter de Marte criado em 1912 e que recebeu um filme divertido este ano!) e depois adquiriu a capacidade de vôo. O Hulk também possui super saltos que, por pouco, enganam quem não sabe que ele NÃO pode voar!

Ambos são os dois lados da mesma moeda. Portanto respeitem ambos personagens, seja pelo seu valor histórico ou conceitual na cultura pop. E compreendam  porque o monstro conhecido como ”O Golias Esmeralda” é tão importante para a Marvel e é seu maior herói.

E nem vou tocar no assunto a respeito de Godzilla: assim como o mega dinossauro-dragão atômico é uma força da natureza, que ameaça tanto quanto protege o oriente de invasores aliens… O Hulk é o monstro que amedronta e defende o ocidente de todos os tipos de seres. É a mesma coisa com Superman, em contra-posição ao Goku de Dragonball ou o Ultraman , no Japão. Cada hemisfério tem seu personagem/herói conceitual que lhe cabe.

Abaixo vocês podem até ver , mais tarde, o desenho baseado na fase ”Planet Hulk” onde, por temerem mais descontroles do Hulk, os principais líderes dos grupos de super-heróis da Marvel decidem enganar e exilar o monstro no espaço. Mas, sem querer, a nave que o levaria a um planeta tranquilo e sem seres inteligentes para temê-lo, acaba entrando num whormhole (buraco de minhoca, um portal que leva um ponto do espaço a outro) e caindo em um planeta chamado Sakaar, onde quase todos os gladadores de lá possuem força física no nível do Hulk ou próximo.  E o Golias Esmeralda precisará conquistar o planeta na porrada.

Cliquem aqui após lerem o resto da matéria, por favor.

 

”HULK ESMAGA!!!”

 

—————————————————————————————————–

 

*CAPITÃO AMÉRICA – A LENDA VIVA

O Sentinela da Liberdade

O Capitão América, que viria a substituir o Hulk no grupo pouco tempo depois, já existia, mas sua participação no Universo Marvel estava nebulosa: desaparecido desde o fim da guerra, ele viria a ser encontrado (congelado) pelos Vingadores mais tarde, entrando no grupo e tornando-o aquilo que é hoje.

Steve Rogers era apenas um rapaz com um enorme senso de justiça e patriotismo. Porém, nascido de uma família pobre e vítima de várias doenças desde a infância , seu maior desejo (o de lutar contra os Nazistas na Segunda Guerra) nunca seria possível: era sempre reprovado em qualquer teste físico, além de estar longe do perfil para ser aceito nas forças armadas. Ainda assim, um dia, suas verdadeiras qualidades foram percebidas pelas pessoas certas: Steve acabou sendo o voluntário perfeito para servir na experiência conhecida como ‘’Projeto Renascimento’’. Onde, através de uma substancia química produzida pelo Dr. Abrahan Erskine, e banhado por uma dosagem de Raios Vita que ativaria a formula e faria o soro se fixar em seu DNA, seu corpo seria reconstruído e aperfeiçoado. Steve Rogers se torna um Super Soldado. O segundo (falarei disto mais abaixo) de um exército que ele lideraria contra os nazistas, os japoneses e os italianos. A idéia seria vencer a Segunda Guerra em metade do tempo usando vários super seres. Mas, infelizmente, um agente nazista assassinou o Dr. Erskine sem que este tivesse passado a fórmula do soro e do Raio Vita para mais ninguém. O sonho do bom doutor, de acabar com a guerra, derrotar Hitler e desenvolver o soro como um medicamento milagroso (que acabaria com as doenças) morreu com ele. Ninguém conseguiu replicar perfeitamente seu soro do super soldado e poucos homens foram beneficiados com ele. Muitos anos depois, Steve descobre que um outro voluntário, um homem negro, tinha se tornado o primeiro super soldado e também agiu como um ‘’Capitão América’’ por um curto período de tempo.

 

Isaiah Bradley – o primeiro Capitão Não-oficial.

Na Alemanha, Hitler criou um agente especial que servia como seu braço direito e símbolo vivo do Nazismo e seu ideal de ubermensch: O Caveira Vermelha. Foi decidido, então, que não bastaria ter um super soldado. Deveria ser combatido conceito contra conceito, símbolo vivo contra símbolo vivo. Durante os meses seguintes, Steve, que já tinha uma mente prodigiosa e possuía um carisma e uma boa noção estratégica, aprende tudo que é necessário para liderar qualquer pelotão, em qualquer situação. Torna-se proficiente em pilotagem de aviões a jato protótipos e acrobacias com motos. Também, graças ao soro que o tornou mais forte, rápido e ágil, Steve se torna um lutador habilidoso em várias artes marciais do mundo inteiro (luta-livre, boxe, kickboxe, jiu-jitsu e combate com arma branca, por exemplo), criando um estilo próprio (coisa que só se tornaria comum na época atual com o ‘’vale-tudo’’ e seus lutadores com estilo misturado). Ginasta de nível olímpico, Rogers dificilmente se cansa graças ao seu adquirido dom de recuperação acelerada. Sua agilidade é tão surpreendente, que pode manobrar seu corpo com incrível destreza em uma queda livre, como se fosse uma ”águia américana”.

No início, seu escudo triangular oferecia apenas proteção contra balas. Nada muito mais especial que seu uniforme com malha de aço (desenhado como se fosse composto por placas em forma de‘’penas’’ ). Como se tratavam de momentos de guerra, também não era difícil ver o Capitão usar de pistolas para abrir caminho, destruir fechaduras e desarmar soldados inimigos com tiros de raspão. Pouco tempo depois, em um tremendo esforço dos cientistas aliados, foi possível confeccionar o famoso escudo circular. Composto de adamantium (virtualmente inquebrável) como a liga que recobre o esqueleto de Wolverine, somado ao Vibranium (metal alienígena que é capaz de vibrar, absorvendo qualquer forma de impacto e devolvendo-o quase imediatamente). Dois metais que só são encontrados no Universo Marvel. O escudo (que segundo o próprio Steve, NÃO possui nome pois nós ‘’não costumamos dar nome ao nosso braço direito’’) é a arma de defesa e ataque perfeita: Super resistente, pode ser utilizada como uma espada curta quando empunhado ou arremessado como um bumerangue. Além disso, o herói aprendeu a calcular instintivamente o ângulo correto para fazer o disco ricochetear pelas paredes e atingir vários inimigos, retornando ao seu punho no fim do trajeto. Uma incrível habilidade que espanta todos os personagens presentes: é como se fosse um poder sobrenatural.

 

O lendário escudo circular que ”voa como uma águia treinada” !

O Capitão América em várias versões no cinema e TV: atuais, em desenhos da década de 60, nos filmes antigos em preto e branco ou em cores…

Durante um curto período de tempo, o ainda novato Steve Rogers atuou ao lado de Logan (Wolverine) em Madripoor (ilha-nação fictícia da Marvel). Nesta ocasião, eles salvam Natasha Romanov (a futura Viúva Negra) das mãos dos ninjas da Tentaculo (The Hand). Em outras versões, é dito que tanto Natasha quanto um outro personagem muito importante é salvo, ainda criança, dos campos de concentração nazistas: Erik Magnus Lensher, o futuro Magneto!

Wolverine, Viúva Negra e Capitão em Madripoor, na época atual.

Para explicar seu desaparecimento das histórias em quadrinhos, os roteiristas disseram que Capitão América e seu parceiro de combate (e irmão adotivo) Buck Barnes foram dados como mortos, ao tentarem impedir um protótipo de caça a jato (controlado remotamente pelo Barão Zemo I) . Na verdade, Buck desapareceu na explosão, sendo encontrado mais tarde por um submarino russo e levado para se tornar um assassino programado. Nome código: Soldado Invernal. Enquanto Steve Rogers ficou congelado décadas num iceberg. Até que o submarino dos Vingadores encontrou seu corpo em animação suspensa, graças ao soro correndo em suas veias.

Desta forma, nasceu o primeiro super-herói uniformizado oficialmente e patrocinado por um páis: O Capitão América. Mas, ao contrário do que muitos ignorantes pensam, o Capitão América é um ‘’sentinela da liberdade’’ que luta contra o mal em todas as suas formas e defende todos os povos e não somente os E.U.A.

‘’Meu Deus, homem! Como pode defender um personagem que defende o capitalismo, o imperialismo americano e blá-blá-blá ?’’

 

Na boa… não me venha com esse papinho de comunista de faculdade e fumador de maconha. Provavelmente você nunca leu revistas em quadrinhos dos Vingadores e do Capitão América, para falar uma babaquice dessas. Para falar a verdade, você mal estudou para falar uma besteira dessas. Mas, já que você insiste, lá vão umas coisinhas que eram necessárias  saber antes de bater no peito e se declarar um revolucionário de quinta categoria:

Pergunta: ”A roupa do Capitão América não tem as cores dos Estados Unidos? Ele não se chama ‘’América’’ ?  Logo, gostar desse personagem ridículo é o mesmo que lamber as botas dos imperialistas americanos!’’

Resposta: Essa é uma das canalhices e falácias que mais escuto a respeito do personagem. Vamos botar abaixo essa argumentação de crianças da primeira série?

 

Maldito! Toma na cara!!!!

Toma essa!Pois bem… em primeiro lugar, as cores do UNIFORME do Capitão América NÃO são necessariamente as cores dos E.U.A. Acontece que as bandeiras dos E.U.A, França, e outros países (incluindo países de ‘’ terceiro mundo’’) utilizam das mesmas três cores: azul, vermelho e branco. Essas são cores relacionadas com a Revolução, seu bobo. Elas representam os ideais de liberdade, revolução e democracia que fizeram os franceses derrubarem a monarquia e os E.U.A (além de outros países) deixarem de ser colônias europeias. O vermelho, por sinal, representa ‘’a cor do sangue derramado pelos revolucionários em troca da liberdade’’! Ou você nunca achou peculiar o vermelho fazer parte da bandeira da ex-U.R.S.S. ? Repare que o Brasil, por exemplo, possui apenas duas dessas cores em sua bandeira: branco e azul. Não possuímos a cor vermelha em nossa bandeira por um único motivo: nossa ‘’libertação da coroa portuguesa’’ NÃO foi feita com uma revolução sangrenta. Como nos tornamos independentes graças ao filho do imperador de Portugal (acho que é o único país do mundo que fez uma coisa tão irônica), ‘’vermelho’’ é uma parte da ‘’revolução’’ que a bandeira não mereceu receber. Ou você acha que bandeiras/símbolos são feitos da noite para o dia e sem significarem nada? Verde e Amarelo eram as cores dos brasões da família de Dom Pedro I e sua esposa. Essas duas cores substituíram o vermelho. O que é ótimo. Pois significa que não precisamos de uma guerra civil ou algo do tipo para ganharmos a liberdade. O ruim é que, seja por reflexo conceitual ou programação social, os brasileiros NÃO valorizam NADA relacionado com seu país, pois nunca lutamos e vencemos algo que realmente importasse. Não conquistamos a liberdade na marra ou através de inteligência .Conseguimos a liberdade através do ”jeitinho”. Brasileiro só tem orgulho das cores da sua bandeira de quatro em quatro anos… e não estamos falando das eleições, não.

Os estadunidenses gostam das cores de sua bandeira? Não… eles AMAM as cores que estão em sua bandeira. Você quer que eu diga o quê?  Que eles estão errados por amarem seu país? Ou que eles estão errados em colocar as cores da bandeira no seu super-herói mais ligado aos ideais de revolução e liberdade (que JÁ eram representados por estas mesmas 3 cores) ? Me poupem. Se eu tivesse que deixar de assistir, ler ou comprar qualquer coisa relacionada a super-heróis que usem estas 3 cores, deixaria de lado Homem-Aranha, Spawn, Superman, os Super Sentai japoneses, o Sonic, Super Mario e muitos outros.

Em segundo lugar, pelo amor de DEUS, parem de chamar os estadunidenses de ‘’americanos’’. Nós TAMBÉM somos americanos, seu pateta. É o nome do continente no qual nascemos. Desde a Segunda Guerra Mundial, os filmes e músicas (estas sim as formas mais espetaculares e sutis de se invadir um país: com cultura goela abaixo) entraram numa onda que dura até hoje: deixaram de lado o termo original ‘’estadunidense’’ por ‘’americanos’’. E a galera engoliu. O pior é que esta mesma galera quer dar uma de intelectualoide  falando a respeito de ‘’imperialismo americano’’. Vão estudar antes de abrir a boca. Só o fato de vocês nomearem as pessoas nascidas nos Estados Unidos de ‘’americanos’’, JÁ ESTÃO aumentam a distância entre nós e eles , reforçando a idéia de que NÃO somos americanos. Vocês estão jogando segundo as regras deles e tentando pagar um ar de sabichões. Além do que, vamos deixar de lado esse xenofobismo de cachorro vira-lata. Culturas se misturam desde que o mundo é mundo. Aquele que se libertou do seu conquistador ontem, pode vir a ser o novo imperador expansionista amanhã. As mesmas coisas que nós criticamos dos E.U.A, por sinal, são as mesmas considerações que outros latino americanos acusam de termos: pedantes, bairristas, metidos a ricos(em relação ao nosso continente, somos muito ricos e ocupamos uma vasta região) e com valores morais bem discutíveis.

Deixem de falar besteira. Falo isto nas minhas aulas toda vez: só de escutar coisas como esta, já percebo que NÃO estou falando com um brasileiro de verdade e sim com um nerdizinho metido a intelectual. Muitos criticam, porém sabem, o que os estadunidenses comem no café da manhã, mas não tem o menor interesse em saber o que ocorre com nossos irmãos da América do Sul. E a maioria nem se interessa em saber. Tem gente que odeia os argentinos por causa do futebol. Putz.

Sejamos bons patriotas, e de mente aberta, carregada de cultura, sem ‘’bairrismos’’ ou hipocrisias (quando recebemos críticas por nossos erros) antes de apontarmos o dedo acusador para os outros. Comece a revolução por você.

E, por último, MEU DEUS, deixem de lado o Capitão América quando o assunto é política: ele é só um personagem! Ele não representa o seu país inteiro ou os defeitos do mesmo. Para ser honesto, o personagem foi , muitas vezes, usado como ‘’termômetro social’’ e ponteiro moral dos estadunidenses quando acontecimentos da vida real afetam a política deles:  A bombas nucleares de Hiroshima e Nagasaki; a guerra do Vietnã; o revanchismo contra os árabes pós-11 de Setembro. Tudo isto afetou o personagem (que NÃO foi a favor de nenhuma dessas decisões nas hq’s) e não foram poucas as vezes que isso se refletiu nas hq’s das mais diferentes formas: Capitão América foi dado como morto em uma conspiração recente; já abandonou o uniforme (e suas cores) em diferentes situações, onde sua opinião entrava em choque com as decisões do governo dos E.U.A (que passava por turbilhões envolvendo corrupção política). Ou seja, LEIAM, seus malditos. E entendam como um personagem que vocês acusam de ser apenas um ‘’cachorro treinado do governo’’ é adorado por fãs em todo mundo e jogado por milhares de pessoas em games como a franquia Marvel VS Capcom .

Ufa… desculpem o desabafo. Mas de vez em quando você tem de escolher: fazer a mesma coisa que os outros sites ”nerds” (odeio este termo) e ser imparcial, em mais um artigo porcaria (que vai na onda de um filme) … ou dar sua opinião e fazer a diferença. E que venham as pedras…

 

Obs: Quando toquei no assunto da nossa pátria não ter se ”libertado” através de nosso próprio esforço e, se necessário fosse, com uma guerra, em momento algum me esquecí dos valentes soteropolitanos que enfrentaram os portugueses na época da nossa independência. E com tremenda desvantagem numérica e armamentista. Aquela triste guerra foi um caso a parte que demonstrou bravura e muita garra por parte de nosso povo. E, por isto mesmo, a Bahia tem, merecidamente, um prazer em comemorar uma data própria para a nossa libertação. Com um orgulho patritota que não vemos muito no restante do país. Ou seja, esses daí estão isentos do meu desabafo! ;)

Na próxima parte : Homem de Ferro e Thor.

Gostou? leia também: